Transhumanismo e sua divulgação

Muitas culturas são pouco conhecidas no Brasil, primeiro, por pouca literatura sobre ela disponível na língua pátria ( já que o Inglês é para poucos aqui ), ou até, talvez, um pouco de negligência de quem deveria divulgar a cultura, pois nada sem divulgação cresce ou fica conhecido.

O Transhumanismo, para quem não sabe, é uma cultura de longevidade, ou seja, na realidade, uma cultura em que o otimismo está em primeiro plano. Apesar de muitas pessoas acharem que o Transhumanismo se resume a transformar seres humanos em ciborgs ( meio homem/meio máquina ), para aumentar seu tempo de vida, ele não é somente isto. O Transhumanismo, é, na realidade, utilizar a tecnologia e os avanços que o próprio homem conseguiu, para aumentar seu tempo de vida, e consequentemente, melhorar o mundo a sua volta.

Apesar de parecer uma cultura voltada para o umbigo ( em geral o transhumanista se preocupa em melhorar a si mesmo primeiro ), o transhumanismo, tenta, sim, melhorar o indivíduo, para que os avanços impetrados no mesmo, possam ser aplicados na sociedade da sua volta, tornando a vida de todos cada vez melhor.

TranshumanismoO ponto central, é longevidade. Seja ela material ou imaterial. Dirão alguns “caramba, o maluco está descambando para o espiritual, não é ele ateu ? “, mas eu respondo, com tranquilidade.

Há uma vertente, no transhumanismo que acredita no upload, ou seja, um tipo de matrix, onde seu SELF ( eu ), vai ter um correpondente eletrônico. Um mezo-retrato disto, hoje, já pode ser visto com o Second Life, onde você realmente já tem uma segunda vida ( um segundo eu ), trabalhando e gerando renda em um segundo mundo.

Assim, mesmo com seu primeiro eu morto, seu segundo eu, poderia, de algum modo, conseguir ainda gerar algo, pois sua consciência ainda estaria vida em um mundo robótico, seja ele qual for e como seja projetado no futuro.

Reconstruir a si e aos outros é o propósito do transhumanismo. Fazer com que a vida humana torne-se cada vez menos sofrida e cada vez mais usuária da tecnologia que nós conseguimos criar.

Se isto é bom ou ruim, não há como especificar. Mas, eu, como transhumanista, acredito, que, as melhoras na vida humana ( como hoje já podem ser sentidas por todo o mundo ), são cada vez maiores e mesmo com a mazelas ( erros de percurso ), ainda teremos muito, mais muito ainda, a conseguir referente a qualidade de vida para o ser humano 🙂

A idéia desta nova seção no blog, é tentar divulgar, com textos pequenos, um pouco mais, o transhumanismo em língua portuguesa.